Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

damas



Sexta-feira, 10.06.05

O final de Vaz Vieira (e a lei dos vinte lances) - I

Por Luís Xavier

Nota de Lusodama: O texto que se segue, em 5 artigos neste blog, é uma publicação simultânea com o Jornal Cidade de Tomar (edição de 10/06/05), onde o autor, Luís Xavier, é cronista de Damas há muitos anos. Esta publicação conjunta deixa-nos muito satisfeitos e esperamos que outras aconteçam no futuro.

Introdução

Em 06.04.2001 publiquei aqui (Nota de Lusodama: O autor refere-se ao Jornal Cidade de Tomar, como facilmente podem verificar, a criação deste blog é muito posterior a esta data) um texto sobre a “lei dos 20 lances”, no termo do qual levantei a dúvida de que o certo final técnico, conhecido pelo “final de Vaz Vieira” fosse ganhável, em algumas situações, dentro de vinte lances. E a questão era mesmo dirigida: “(...) seria conveniente que o próprio autor e, ou, a F.P.D., aclararem-se esta questão. Tratando-se dum jogo racional (...) é importante que este ponto sombrio, esta dúvida, não subsista.

Por ocasião do último “Torneio de Abertura” (Abril de 2005), o dr. Vaz Vieira facultou-me, com pedido de publicação, um texto sobre o assunto da introdução. E nele pode verificar-se que, partindo de certas posições do seu final, não é possível, cumprindo a “lei dos 20 lances”, obter o ganho para a cor em vantagem. Estava satisfeita a minha dúvida – ou melhor – a dúvida por mim veiculada, há 4 anos atrás.

Antes de passar a transcrever, na íntegra, o estudo de Vaz Vieira, permito-me, para enquadrar os leitores menos experimentados, dizer algo sobre o “final de Vaz Vieira”.

Em Abril de 1995 (curiosamente 10 anos depois o autor esclarece um ponto importante do seu trabalho...), aparece na capa da Enciclopédia Damista uma excepcionalíssima posição terminal que “ninguém suspeitava” ser ganhante! Foi decerto o fruto dum trabalho árduo e minucioso de longas horas! O dito “espantoso Final Prático”, nas palavras do dr. Sena Carneiro, cativou-o (como cativaria qualquer) de tal modo que o fez dedicar metade da revista à sua explicação pormenorizada, ilustrada com 17 diagramas!

O final apresentado por Vaz Vieira era o seguinte:

fvv-1.jpg

Jogam brancas e ganham

Jogam pretas e ganham brancas

(Ou simplesmente, por se tratar dum final técnico: Brancas ganham,

 o que pressupõe não importar de quem é o lance – LX)

A posição mostra as pretas em situação crítica, se o lance for delas! E deve ter sido dela que partiu Vaz Vieira para a sua investigação. Com efeito, sendo as pretas a jogar, as brancas ganham facilmente!

-se 30-16/17; 19-12/10 GB

-se 30-20/27; 03-16, bloqueio simples e activo, GB

-se 30-21; 03-17(!), 21-11/18; 17-30, 11/18-25; 19-29 etc. GB

O busílis é se na posição dada o lance é das brancas. A movimentação de ambas as cores é complexa, nada intuitiva. O final para ser bem conduzido requer um estudo profundo. Uma solução (muito resumida, mas porventura suficiente para perceber a estratégia das brancas que se pode traduzir na frase: conquista do circuito marginal): 19-10 (!!), 30-16 (A); 10-14 (!), 16-20/27 (B); 03-10 (!!!) (por aqui se vê a tamanha dificuldade em  atinar com a  solução deste  deslumbrante  final técnico), 20/27-30 (C); 14-07 etc. GB como se verá.

(A) 30-21; 03-16, 21-26 (A1); 10-19, 26-15 (ou 22) (A2); 14-23, 15-06/22; 16-03/12 etc. GB

(A1) 21-11/18; 10-19 etc. GB

(A2) 26-17; 16-03 etc. GB

(B) 16-30, 14-19 (!) e eis a situação crítica que é o farol para a resolução do final, em que GB como se viu antes.

(C) 20/27-16; 14-21 etc. GB identicamente

Posto isto, dou passagem ao mestre conimbricense (atenção: O autor chama circuito grande ao que na minha nomenclatura chamo circuito marginal, ou seja, o conjunto de quatro linhas ligadas entre si pelas casas “03”, “16”, “30” e “17”).

Autoria e outros dados (tags, etc)

por lusodama às 02:50

Sexta-feira, 10.06.05

O final de Vaz Vieira (e a lei dos vinte lances) - II

Por Luís Xavier

Para se ganhar dentro dos 20 lances

A)

1ª Posição de referência a ser conseguida

no máximo até ao 4º lance branco, inclusive

fvv-2.jpg

Jogam pretas

De facto: 4) ..., 16-27; 5)03-10, 27-16; 6)14-21, 16-30; 7)21-17, 30-16; 8)17-26, 16-27; 9)26-30  (tomada  do circuito  grande pelas brancas), 27-22; 10)30-16, 22-26; 11)10-14

Autoria e outros dados (tags, etc)

por lusodama às 02:45

Sexta-feira, 10.06.05

O final de Vaz Vieira (e a lei dos vinte lances) - III

Por Luís Xavier

B)

2ª Posição de referência a ser conseguida

até ao 11º lance das brancas

fvv-3.jpg

Jogam pretas

Se 11) ..., 26-22; 12)14-23, 22-13; 13)03-16, 13-22; 14)03-12, 22-09; 15)23-19, 09-13; 16)12-03, 13-18; 17)03-17, 18-11; 18)17-30, 11-25; 19)19-29 e GB por alteração de peões e força.

A sequência mais difícil para as brancas:

Se 11) ..., 26-17; 12)16-03, 17-26; 13)14-23, 26-22; 14)03-12, 22-09 e entronca na sequência anterior aos mesmos lances

Se 11) ..., 26-15 (?) 12)14-23, 15-22; 13)16-12, 22-09; 14)23-19, 09-13; 15)12-03, 13-18; 16)03-17, 18-11; 17)17-30, 11-25; 18)19-29 e GB com menos um lance que nas sequências anteriores.

NOTA: Se as pretas não seguirem os lances indicados, as brancas ganham em menos ou igual número de lances. Por exemplo ao 10º lance em A), se as pretas jogam 22-18 vem 11)10-19,  18-21; 12)19-29,  21-30; 13)19-15, 30-17; 14)16-03, 17-30; 15)15-19, 30-21; 16)03-17, 21-18; 17)17-30, 18-25; 18)19-29 e mate (também sequência difícil).

Autoria e outros dados (tags, etc)

por lusodama às 02:36

Sexta-feira, 10.06.05

O final de Vaz Vieira (e a lei dos vinte lances) - IV

Por Luís Xavier

Porém a posição de referência A) não é conseguida num grande número de posições até ao 4º lance branco.

Por exemplo:

fvv-4.jpg

Jogam brancas

1)23-32, 16-03; 2)14-21, 03-17; 3)21-30, 17-03; 4)30-17, 03-16; 5)17-03, 16-20; 6)32-10, 20-16; 7)10-14 e posição A) só ao 7º lance branco e empate pela lei actual.

Na maioria das posições a posição A) não é atingida até ao 4º lance branco. Outra posição banal: (02), 04, 24, (32) x (03), 08, 31 em que a posição A) não é feita ao 4º lance branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por lusodama às 02:32

Sexta-feira, 10.06.05

O final de Vaz Vieira (e a lei dos vinte lances) - V

Por Luís Xavier

NOTA: Vejamos como as pretas devem jogar na formação seguinte para dificultar, em número de lances, que as brancas atinjam a posição A)

fvv-5.jpg

Jogam pretas

Sim, 13-06 (!!) (*)

1)16-03, 06-20; 2)32-10, 20-16 (!); 3)10-14 (posição A), 16-27; 4)03-10

(*) Não, 13-03 (?) (lógico) 1)32-14, 03-13; 2)16-03, 13-27 (equivalente ao 16-27 que é o 4º lance preto logo após a posição A) 3)03-10

(Fim da exposição de Vaz Vieira)

O dr. Vaz Vieira não tira consequências desta sua comprovação, a saber: Deverá a lei dos vinte lances ser modificada ou deverá admitir-se posições (e não serão poucas!) em que, por força duma convencional limitação, a cor em vantagem não possa ganhar o jogo?

Quem se quer pronunciar?

Há quatro anos atrás, o meu escrito já mencionado terminava com esta frase: A equipa directiva da F.P.D. andará avisada e agirá bem se os resolver... por antecipação!

“Se os resolver”, remetia para os problemas que pudessem advir de não se ganhar o “final de Vaz Vieira” em 20 lances. Nada fez... por sorte também não surgiram problemas. Mas agora que se fica a saber que muitas posições do final de Vaz Vieira não são resolúveis em 20 lances espera-se uma posição oficial.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por lusodama às 02:22


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2005

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930